Atualize o seu navegador.

Parece que você está usando uma versão antiga do navegador Microsoft Edge. Atualize o seu navegador para obter a melhor experiência com o website da Busch.

Economia de energia e redução das emissões de dióxido de carbono graças à centralização do suprimento de vácuo

A Block House Fleischerei GmbH definiu o aumento da eficiência energética e a redução das emissões de gases com efeito de estufa como seu principal objetivo. O produtor de produtos de carne fresca em porções e de hambúrgueres conseguiu economias de energia consideráveis e uma redução das emissões anuais de CO2 de 36,1 toneladas ao reorganizar o fornecimento de vácuo para cinco linhas de vácuo. O componente central do novo fornecimento de vácuo é um sistema de vácuo centralizado da Busch. Graças ao seu design e controle inteligente, ele consome significativamente menos energia do que as bombas de vácuo que antes estavam instaladas diretamente nas máquinas de embalar.

Sobre a Block House

O açougue da Block House foi fundado em 1973 por Eugen Block, e os padrões de qualidade então estabelecidos por Block continuam a ser aplicados nos dias de hoje; a certificação IFS comprova a elevada qualidade dos produtos de carne fresca e dos hambúrgueres. Além disso, o selo de carne bovina de alta qualidade garante que a carne usada é proveniente de vacas que foram criadas de uma forma apropriada à espécie. A carne dos bifes provém sobretudo de gado Angus e Hereford.

O açougue da Block House assume a mesma responsabilidade perante o meio ambiente e a sustentabilidade que assume perante a manutenção de rigorosos padrões de qualidade. O sistema de gerenciamento de energia tem certificação ISO 50001, e faz parte do projeto "Empresas para conservação de recursos" em Hamburgo.

Máquinas termoformadoras

Já em 2013, o suprimento de vácuo das máquinas de embalar foi analisado em relação aos requisitos de energia, e determinou-se que existia um potencial de economia. Nessa altura, as cinco linhas de embalamento, cada uma delas com uma máquina de termoformagem, estavam equipadas com uma bomba de vácuo de palhetas rotativas própria como bomba de apoio e um acelerador de vácuo adicional. Estas bombas de vácuo estavam instaladas junto às máquinas de embalar e, por isso, nas proximidades dos locais de trabalho. O resultado foi que as bombas de vácuo emitiam seu calor residual diretamente às áreas de produção. Só foi possível manter a baixa temperatura ambiente, necessária por razões de higiene, aumentando a saída do sistema de ar condicionado. A poluição sonora no local de trabalho era outra desvantagem.

Além de economizar energia e reduzir as emissões de CO2 , o açougue da Block House tinha um objetivo adicional de substituir o suprimento de vácuo: eles também queriam garantir a alta disponibilidade do suprimento de vácuo e retirar as bombas de vácuo das áreas de produção para evitar a emissão de calor e a poluição sonora no local de trabalho. Além disso, se possível, o pessoal responsável pela manutenção deveria evitar entrar nestas áreas.

Nossa solução

Juntamente com os especialistas em vácuo da Busch, foi desenvolvido um conceito para encontrar uma solução com eficiência energética que também eliminasse todas as outras desvantagens anteriormente descritas. A equipe concordou rapidamente que o suprimento de vácuo centralizado das máquinas de embalar seria a solução ideal. A base para a concepção do sistema de vácuo centralizado foram as cinco máquinas de embalamento por termoformagem existentes, que só requerem vácuo para o processo de embalamento, uma vez que as películas de base não são aspiradas para dentro das formas utilizando vácuo, sendo sopradas para dentro das formas por meio de ar comprimido.

O novo sistema de vácuo centralizado (fig. 3) está em funcionamento desde setembro de 2015. Os seus componentes principais são quatro bombas de vácuo de palhetas rotativas R5, com quatro aceleradores de vácuo Panda. Um módulo de vácuo, composto por uma bomba de vácuo de palhetas rotativas e um acelerador de vácuo, tem uma função meramente de reserva e é utilizado apenas se for necessário executar qualquer operação de manutenção durante o funcionamento. O sistema de vácuo centralizado está localizado um piso abaixo, sob as áreas de produção em uma sala separada e, por isso, completamente isolada da produção.
A câmara de embalagem é evacuada em dois passos por duas linhas de fornecimento de vácuo. Existe um vácuo constante, chamado vácuo industrial, de 30 milibar na primeira linha. Isto permite uma rápida evacuação para este "nível de vácuo industrial". Após ser alcançado, o sistema muda para a segunda linha com um nível de vácuo de 4 milibar. Este método de equalização de pressão de duplo estágio facilita os tempos de ciclo curtos. Existem tanques de compensação entre o sistema de vácuo centralizado e as máquinas de embalar, para garantir que o nível de vácuo exigido esteja constantemente disponível nas linhas.

O sistema é operado conforme a demanda. Os módulos de vácuo individuais são ativados ou desativados através de transmissores de pressão, dependendo da pressão. Graças a este controle e a menos 9,9 kilowatts de consumo de energia em comparação com o fornecimento descentralizado anterior, o açougue da House Block consegue obter uma redução de custos de energia de 4.356 euros por ano. A energia economizada equivale a 22,8 toneladas de emissões de CO2 (fig. 4).

Vantagens do suprimento de vácuo centralizado

Frank Damast, diretor técnico do açougue da Block House, está convencido de que instalou a tecnologia de vácuo mais avançada, com o novo sistema de vácuo centralizado da Busch, e que este é também muito superior ao sistema de suprimento de vácuo anterior no que diz respeito ao nível de manutenção e à suscetibilidade a falhas.

O design modular praticamente elimina as falhas no suprimento de vácuo. O módulo de vácuo de reserva também oferece um elemento adicional de segurança.

Economias de energia e redução das emissões de CO2 Emissões

A instalação do sistema de vácuo em uma sala separada em um nível mais baixo permite economias na ordem dos 23,1 kilowatts de potência de refrigeração para a unidade de refrigeração nas áreas de produção. Isto corresponde a uma economia anual de 2.541 euros ou a redução nas emissões de CO2 na ordem das 13,3 toneladas. Se a redução de custos com energia do suprimento de vácuo centralizado e a potência de refrigeração forem somadas, a economia anual total é de 6.897 euros. A redução total de emissões de CO2 chega a 36,1 toneladas. O sistema de vácuo centralizado alimenta atualmente cinco máquinas de embalar, mas foi concebido para permitir a conexão de mais duas máquinas de embalar. Além disso, o sistema permitiu tempos de ciclo mais curtos.

O uso de um suprimento de vácuo inovador e com eficiência energética foi subsidiado pelo município de Hamburgo através do programa "Empresas para a Conservação de Recursos", que confirmou ao açougue da Block House que encontrou no sistema de vácuo centralizado da Busch a melhor solução possível para o suprimento de vácuo.

A manutenção do sistema de vácuo centralizado é realizada uma vez por ano por um técnico de serviço da Busch, que coordena a sua visita previamente com o departamento de engenharia de produção. Ao ligar o sistema de vácuo centralizado ao sistema de controle do processo operacional, este pode ser constantemente monitorado, e as possíveis irregularidades podem ser identificadas imediatamente. Consequentemente, o consumo de energia é igualmente exibido e documentado de forma automática.
Mais fatos sobre a Block House Fleischerei GmbH

A Block House Fleischerei GmbH é uma empresa Block Foods AG. Na moderna central de processamento de carne em Hamburgo, na Alemanha, os bifes são cortados em porções, a carne bovina é dissecada, e são produzidos hambúrgueres e carpaccio (fig. 2). Quase 100 funcionários trabalham em operação de turno único, apesar de a produção de hambúrgueres ser realizada em dois turnos. Alguns dos produtos são servidos na própria rede de restaurantes da empresa, os restaurantes Block House. A maioria dos 49 restaurantes oferece os seus bifes em cidades alemãs. Mas os bifes que são maturados, cortados e embalados no açougue da Block House em Hamburgo também são servidos nos restaurantes Block House na Espanha, em Portugal, na Áustria e na Suíça. No total, mais de seis milhões de clientes são servidos anualmente nestes restaurantes. A maioria dos produtos é fornecida a atacadistas, varejistas ou ao setor de restaurantes. Os clientes se encontram principalmente na Alemanha e nos países vizinhos.