Revestimento de plasma

O estado de plasma de uma mistura de partículas é muitas vezes descrito como o quarto estado da matéria. Sujeito a pressão normal, o plasma só é criado se o gás for aquecido a uma temperatura suficientemente elevada para transformar as suas moléculas em iões e eletrões. No entanto, a pressões extremamente baixas, o plasma forma-se sem serem necessárias altas temperaturas.

A tecnologia de revestimento utiliza o plasma para depositar finas camadas de material ativo, como por exemplo, para criar um espelho ou aplicar revestimentos antiaderentes em componentes.

Materiais relativamente sensíveis, como o plástico, a borracha e as fibras naturais, não são adequados para processos de alta temperatura. Para aplicar revestimentos neste tipo de materiais é utilizado um plasma de baixa pressão, o qual reage a temperaturas entre 40 °C e 120 °C. Os itens são completamente limpos e colocados numa câmara que é posteriormente evacuada. O sistema de vácuo, que fornece os níveis médios e elevados necessários, tem de ser completamente fiável e as suas características têm de corresponder ao processo de revestimento.


De seguida, o gás de processo, por exemplo árgon, é introduzido na câmara. Ao gás são aplicadas altas frequências, micro-ondas ou energia elétrica, originando uma chama de plasma. Este processo divide o material de revestimento em partículas minúsculas que são, depois, aceleradas. As partículas colidem com elevada energia com os itens na câmara, formando uma camada homogénea. Os produtos derivados voláteis do plasma são extraídos pela bomba de vácuo e, se necessário, podem ser neutralizados por um depurador de escape.


Para criar os níveis de vácuo médios e elevados necessários para o revestimento de plasma, é possível usar uma variedade de produtos Busch. Diversos modelos de bombas de vácuo de parafusos a seco da gama COBRA têm-se revelado particularmente adequadas, também em combinação com as bombas de vácuo tipo Roots Panda. Em instalações de revestimento de plasma mais pequenas com sistemas de fecho de carga podem ser usadas bombas de vácuo de espirais a seco Fossa em combinação com palhetas rotativas Zebra e bombas de vácuo turbomoleculares na câmara de processamento.

Deseja saber mais?
Entre diretamente em contacto connosco (Busch Portugal):
+351 234 64 80 70 Entre em contacto
Deseja saber mais?
Entre diretamente em contacto connosco (Busch Portugal):
+351 234 64 80 70 Entre em contacto

Produtos adequados

Standard News

Últimas notícias