Reciclagem eficiente das sobras - A evaporação a vácuo reduz o teor de água nos resíduos de biogás

Reciclagem eficiente das sobras - A evaporação a vácuo reduz o teor de água nos resíduos de biogás

Grandes quantidades de resíduos de fermentação são coletados em usinas de biogás. Com a ajuda de bombas de vácuo, muitas das quais são produzidas pela Busch, este resíduo torna-se mais fácil de manusear e pode ser transformado em subprodutos valiosos.
Biogas-water-content-reduction-4.jpg

O biogás consiste principalmente de metano (CH4). Esta molécula é composta de um átomo de carbono e quatro de hidrogênio. Isto significa que, quando queimado, são liberadas quatro vezes mais moléculas de água do que de CO2. E, mesmo sendo um gás de efeito estufa, ele continua fazendo parte de um ciclo inofensivo: a planta, da qual o material de fonte orgânica em última instância se origina, tinha absorvido anteriormente o dióxido de carbono do ar.

Resíduos com alto teor de água

Todavia, apenas parte do material se transforma em gás. Uma substância conhecida como resíduo de fermentação é deixada no sistema. Ela tem um alto teor de água e, muitas vezes, é fluida, principalmente se o sistema rodar com suspensão espessa (chorume). Teoricamente, este produto residual é adequado como fertilizante. No entanto, o resíduo de fermentação fluido está sujeito a condições similares às da própria suspensão espessa (chorume). Na Alemanha, por exemplo, ela tem de ser armazenada primeiro por vários meses e depois só pode ser usada de forma limitada.

O armazenamento de quantidades cada vez maiores de resíduos de fermentação custa muito dinheiro e exige muito espaço. Portanto, faz sentido reduzir a quantidade, extraindo água do material. Como as usinas de biogás são frequentemente combinadas com centrais térmicas do tipo bloco, seu calor residual pode ser usado para vaporizar a água. Para aumentar a eficiência energética, este processo deveria ocorrer idealmente em câmaras de vácuo.

Água pura e concentrado

A água evaporada é condensada após o calor ter sido recirculado. O concentrado de resíduos de fermentação remanescente contém todos os nutrientes do material de origem. Agora ele pode ser seco, compostado e utilizado como fertilizante orgânico.

O vácuo faz mais do que apenas reduzir o consumo de energia. Quaisquer gases residuais que saiam do material são alimentados de volta à usina de biogás para uso posterior. Como a usina tem de ser hermeticamente selada, os odores desagradáveis também são mantidos em um nível mínimo. Dependendo do tamanho e do projeto, várias bombas de vácuo ou combinações delas podem ser consideradas para fins de geração de vácuo. A Busch oferece uma ampla gama de opções para esta finalidade, a fim de sempre encontrar a solução ideal.

O Ocidente redescobriu o biogás como uma fonte de energia após a crise do petróleo dos anos 70. O atual boom do biogás não começou até o início do novo milênio, tendo acelerado principalmente como resultado do avanço das mudanças climáticas. Contudo, a primeira usina de biogás foi construída já em 1859: em uma colônia de leprosos em Bombaim – agora conhecida como Mumbai (Índia). Na cidade inglesa de Exeter, a partir de 1895, as lanternas de gás usadas para iluminar as ruas funcionavam a biogás oriundo de águas residuais. Em outras cidades, o biogás também era coletado de estações de tratamento de esgoto e injetado na rede de gás local. Nesse meio tempo, outros utilizavam o gás para abastecer suas frotas de veículos. Por exemplo, o serviço de eliminação de resíduos em Zurique foi alimentado por biogás até 1973. Em países como Índia, China, Coréia do Sul, Taiwan, Malásia e Botsuana, muitas residências, a maioria delas em áreas rurais, utilizam pequenas usinas de biogás para seu fornecimento privado de energia. O gás é utilizado principalmente na cozinha.


Inscreva-se e receba a newsletter "World of Vacuum!"
Inscreva-se já para se manter atualizado com as mais recentes e fascinantes notícias do mundo do vácuo.

INSCREVER-SE